domingo, 4 de setembro de 2011

Um time 2009.2


Interessante a dinâmica não-categórica e crescente de um time. Ainda mais se disposto por acaso, mas organizado com sobriedade pelas partes. Ver e estar lá enquanto o temperamento de cada um se molda às situações funcionais diárias é muito bom.
A recordação vem de outra lembrança: sou um líder, ou fui, não sei, e agora calculando o tempo, a ação e o caráter individual disponho o time em posições e funções como se uma tropa caminhasse em linha reta, perigosamente, como numa guerra.

Geisa: Pela temperança racional e os planos revolucionários matutinos ela estaria comandando os soldados da frente e cuidaria do campo de visão direito-frontal enquanto dá ordens ao resto do comando pelos dois imediatos: Mariana e Oráculo. Ou fosse num simpósio ficaria com a introdução e explanação inicial do assunto.

Mariana: Eficiente, de logística rápida e digna de confiança, trataria do campo esquerdo-frontal com seu olhar curioso e observador disparando projéteis perigosos. Num colóquio estaria encarregada dos equipamentos e viria logo após Geisa, apresentando tópicos factuais com muitos detalhes.

Oráculo: Caráter, humor, é quem não pode faltar num time e de maior poder de fogo porque aguenta as armas mais pesadas, por exemplo: um dos trabalhos de Geisa e Mariana seria abrir oportunidades para os ataques poderosos e por muitas vezes ousados e certeiros dele; observaria a dianteira central. Nesse seminário pegaria boa parte da apresentação esmiuçando conceitos diversos.

Ludmilla: Sempre criativa, aparenta delicadeza mas baseia-se na elegância, no esmero seleto e apurado, cobriria os ataques de Oráculo distraindo a atenção do oponente para a reorganização do grupo e para os outros ataques; cuidaria da lateral esquerda.  Ponderaria o assunto apresentado à atenção e o gosto do público e proporia dinâmicas contextualizadas com a situação.

Wandson: Cheio de ânimo, muito expressivo e correto, após a reorganização do time entraria em batalha e tomaria de conta da situação sozinho por um tempo até que viessem os ataques finais; observaria a lateral direita. Ligaria conceitos a fatos e situações-chave, as quais antecederiam o fim do assunto.

Dharílya: Irreprimível, coerente e corajosa, acredito que mais que qualquer um do time vê o que ninguém vê, por isso cuidaria sozinha da traseira observando ataques inimigos traiçoeiros e colocando armadilhas para o time não ser seguido; jogaria a bomba que liquidaria o inimigo. Incumbida de materiais extras e concluiria tudo fazendo uma reflexão sobre o assunto abordado.

Gente, agora deu vergonha da besteira que eu escrevi, enfim, passei mó tempão fazendo e tá aí, fim.

7 comentários:

  1. kkkkkkkkkkkkkkkkkk....adorei Gustavo!!!!! =D

    ResponderExcluir
  2. amei Gustavo, continue cantando a sua canção : D

    ResponderExcluir
  3. gente adorei principalmente a parte da mari e da dahrylia protegendo a traseira, hauhau, mas ameei gente!

    ResponderExcluir
  4. achei rpg...
    ficou bem bacana, curti xD

    ResponderExcluir